A melhor forma de aproveitar as habilidades dos colaboradores da sua empresa

Habilidades são aprimoramentos desenvolvidos por cada indivíduo no domínio de alguma técnica ou execução de determinada tarefa. Diz-se, por exemplo, que um navegador conseguiu chegar ao continente sem muitos problemas, pois ele é dotado de habilidades de navegação, orientação espacial, manejo da embarcação, etc. Toda habilidade tem uma parcela de talento ou hereditariedade expressa, mas é essencialmente definida nas relações sociais, onde são aprendidas e desenvolvidas no meio cultural.

Os vários projetos, ou mesmo setores da instituição, demandam tipos diferentes de abordagem e nada melhor para sua execução que o bom planejamento e mobilização de recursos adequados, como o aproveitamento das habilidades, por exemplo.

Aproveitamento de Habilidades

O aproveitamento das habilidades dos colaboradores dependem de três momentos:

1) Identificação: Nesta fase são identificadas informações sobre o que o que o indivíduo faz, no que ele se diferencia dos demais, e onde poderia ser encaixado. Pode ser feito já no período trainee (se a empresa adota esse estilo de empregabilidade) na observação de psicólogos organizacionais ou consultores de recursos humanos e também, através de testes de personalidade, inteligência e atenção para visualizar certos traços. Esta é a parte mais onerosa, pois depende do auxílio de profissionais competentes.

2) Organização: Depois de identificado em suas especificidade, o funcionário deverá ser alocado onde percebe-se maior probabilidade de sucesso e realização. “Esse cargo exige competências específicas, quem as possui?” “Esse cargo seria melhor atribuído a que tipo de pessoa?” “Vai depender de trabalhar em equipes ou pode ser realizado individualmente?”

3) Dinamização. Esta fase consiste no favorecimento dos processos e da produção do funcionário. Aqui as habilidades serão divulgadas e permanentemente revisitadas através de treinamentos corporativos, oportunidades de participação em projetos e valorização dos recursos humanos a partir de premiações e sistemas de bonificações.

Isso tudo pode ser resumido pela sigla “DOI”. E digamos que “dói” não saber administrar as riquezas que se tem: perde-se tempo, qualidade, dinheiro e alcance de mercado. A longo prazo, é através do DOI (Dinamização, Organização, Identificação) que se poderá vislumbrar um sucesso nos negócios e na subsistência organizacional.

 

Guilherme Bernardes
Assessor de Criação e Mídias da RH Consultoria Júnior – UFMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *